Megafone

Você, trabalhadora e trabalhador doméstico, é cidadã e cidadão do Brasil e tem diversos direitos assegurados pela Constituição. Fique atento ao respeito a sua dignidade e denuncie qualquer tipo de violência contra você.

As mulheres, principalmente, costumam ser alvo de preconceito e agressões físicas e sexuais. É importante conhecer cada um desses tipos de violência para denunciá-los. Em qualquer um destes casos procure a Fenatrad, o seu sindicato e organizações que são referência na defesa dos direitos humanos como a ONU Mulheres (clique aqui para conhecê-la) e a SOS Corpo (clique aqui para saber mais).

Confira o que significa cada uma das violências contra as quais você deve estar sempre alerta:

Assédio moral: É todo tipo de conduta abusiva que o empregador manifesta no local de trabalho. Se você é obrigada a trabalhar além do tempo que foi determinado por lei ou é ameaçada o tempo inteiro de demissão sem nenhum motivo aparente pode estar sendo vítima de assédio. Xingamento, exposição a humilhações que se repetem durante todo o tempo também são configurados como assédio.

Assédio Sexual: É caracterizado por comentários indiscretos, sussurros e insinuações que lhe deixam desconfortável e que são praticadas por pessoas que estão numa posição acima de você no ambiente de trabalho. A exigência para que você faça algum favor sexual em troca desse emprego ou de aumento é a forma mais conhecida.

Racismo: Embora a biologia tenha eliminado a definição de raças humanas, o pensamento criado em torno dessa ideia, inclusive classificando umas superiores às outras, continua produzindo efeitos ruins. O racismo é, portanto, comportamentos, atitudes e discurso centrados na ideia de que um grupo racial é superior a outro. Os racistas dão atenção principalmente a sinais físicos como a textura do cabelo e a cor da pele.

No Brasil, devido aos efeitos da colonização portuguesa, os brancos foram considerados os superiores em oposição aos negros e índios. A herança desse tipo de pensamento ainda provoca efeitos negativos como a dificuldade encontrada pelos descendentes desses grupos para ter acesso a benefícios como educação e saúde de qualidade. Como a maioria das trabalhadoras e trabalhadores domésticos são negros esse é um tipo de violência muito comum contra elas e eles.

Por isso, as lutas da categoria sempre estiveram alertas ao seu combate. Tanto pela Constituição Federal como por outras leis específicas, o racismo é crime no Brasil. Se for vítima de qualquer comportamento desse tipo, você deve denunciar o agressor para que ele seja punido.

Violência física: todo tipo de agressão contra o seu corpo ─ tapa, chute, empurrão, arranhão, pontapé, dentre outras. Elas causam dores, hematomas, perda de sangue e podem até levar à morte. Violência psicológica: é qualquer tipo de constrangimento que faz você ficar envergonhada (o). São xingamentos, críticas a sua aparência física como estatura, peso e textura do seu cabelo. Inclusive, pode estar relacionado à sua condição de negra (o) o que a faz já estar misturada ao racismo que também é crime (ver acima). Esse tipo de agressão pode levar a depressão, vontade de não fazer nada, achar que não tem valor e outros tipos de comportamento destrutivo. Denuncie Procure o sindicato de sua cidade ou a Delegacia Regional do Trabalho