Institucional

Institucional

União para conquistar direitos
A Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas (Fenatrad) é uma associação formada por 26 sindicatos e mais uma associação. Ela representa uma categoria formada por, aproximadamente, 7,2 milhões de pessoas no Brasil.

As organizações filiadas à federação estão presentes em 15 Estados brasileiros :  Acre, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Piauí, Pernambuco,  Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina e Sergipe.

Essa união entre as entidades é chamada de “organização de classe” . Essa organização é importante para que as mulheres e homens que desenvolvem trabalho doméstico tenham os mesmos direitos que outros trabalhadores: carteira assinada, férias remuneradas, FGTS, dentre outros.

Décadas de lutas
Para chegar até esse momento em que o trabalho doméstico possui alguns direitos foi necessário percorrer um longo caminho.

Um marco dessa luta foi a fundação de uma associação  das trabalhadoras domésticas em São Paulo.
A idéia partiu de uma trabalhadora doméstica chamada Laudelina Campos de Melo.

Laudelina criou a associação em 1936 e a partir daí muita coisa aconteceu. Um dos passos mais importantes foi a Lei 5.859 publicada em 1972. Essa lei reconheceu o trabalho doméstico como função, estabeleceu a assinatura da carteira profissional de quem desenvolve a profissão, além de outras conquistas.

Organização reforça a luta
Avanços como o direito a ter carteira de trabalho assinada alimentaram o desejo de mais conquistas. Em 1985 foi realizado em Recife um encontro onde as trabalhadoras domésticas decidiram criar um Conselho Nacional para reunir todos os sindicatos e associações que estavam batalhando pela mesma causa.

A organização em conselho aconteceu porque o trabalho doméstico ainda não era reconhecido como categoria profissional. Três anos depois o Brasil ganhou uma nova Constituição e essa conquista chegou, embora com limitações. Nem todos os direitos que as demais categorias possuem foram dados aos trabalhadores domésticos.

Por isso, a luta ainda continua e a organização é fundamental. Uma das bandeiras é conseguir que o pagamento do FGTS pelo empregador seja obrigatório. Atualmente,  é facultativo, ou seja, ele paga se quiser.

Você sabia?
As mulheres são maioria no trabalho doméstico. Por isso, a Fenatrad usa mais frequentemente o termo “trabalhadoras domésticas” em seus documentos e material informativo. A Fenatrad caminha ao lado de outros movimentos e instituições que defendem a igualdade dos direitos para as mulheres e combatem o preconceito contra elas.

A maioria das trabalhadoras e trabalhadores domésticos é formada por negras e negros. Daí que os sindicatos e as associações mantêm um diálogo muito forte com as organizações do movimento negro. Essas alianças são muito importantes para a troca de experiências e desenvolvimento de ações que ajudam todo mundo.

Diretoria FENATRAD/CNTD para 2016-2019

LUIZA BATISTA PEREIRA PRESIDENTA RECIFE/PE

CREUZA MARIA OLIVEIRA SEC. GERAL SALVADOR/BA 

NOELI DOS SANTOS SEC. ARTIC. REGIONAL RIO DE JANEIRO/RJ 

CLEIDE PEREIRA PINTO SEC. FORM. SINDICAL NOVA IGUAÇU/RJ

FRANCISCO XAVIER TESOUREIRO SALVADOR/BA 

JANE APARECIDA DA SILVA DE SOUZA SEC. DE ORGANIZAÇÃO RIO BRANCO/AC

MARIA ISABEL CASTRO COSTA SEC. POL. PARA AS MULHERES SÃO LUIZ/MA

QUITÉRIA DA SILVA SANTOS SUPLENTE ARACAJU/SE SANTA MARIA /SE 

ANA MARIA NASCIMENTO DA SILVA SUPLENTE RIO BRANCO/AC 

JORGINA DOS SANTOS SUPLENTE VOLTA REDONDA/RJ GALEÃO 

ERNESTINA DOS SANTOS PEREIRA CONS. FISCAL PELOTAS/RS

CHIRLENE DOS SANTOS BRITO CONS. FISCAL CAMPINA GRANDE/PB 

VALDELICE DE JESUS ALMEIDA CONS. FISCAL SÃO LUÍZ/MA

MARIA FERREIRA LIMA SUPLENTE SÃO PAULO/SP

 

 

-->